sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A Lenda das Cataratas do Iguaçu

 
Conta a lenda que os índios caigangues, que habitavam às margens do rio Iguaçu acreditavam que o mundo era governado por Mboi, ou Mbá um deus que tinha a forma de uma serpente e era filho de Tupã. O cacique desta tribo chamado Igobi, tinha uma filha, Naipi, tão bonita que as águas do rio paravam quando a jovem nelas se mirava. Devido a sua beleza, Naipi seria consagrada ao deus Mboi passando a viver somente para seu culto. Havia porém, entre os caigangues um jovem guerreiro chamado Tarobá, que ao ver Naipi por ela se apaixonara. No dia em que foi anunciada a festa de consagração da bela índia, enquanto o cacique e o pajé bebiam “cauim” (bebida de milho fermentado) e os guerreiros dançavam, Tarobá fugiu com a linda Naipi numa canoa que seguiu rio abaixo, arrastada pela correnteza.

http://www.fozdoiguacu.pr.gov.br/turismo/br/biblioteca/lendad2.jpg

Quando Mboi soube da fuga de Naipi e Tarobá, ficou furioso, na forma de uma grande serpente, penetrou nas entranhas da terra e retorceu-se, provocou desmoronamentos que foram caindo sobre o rio e, produziu na terra, uma enorme fenda que formou uma catarata gigantesca. Envolvidos pelas águas dessa imensa cachoeira, a piroga e os fugitivos caíram de grande altura, desaparecendo para sempre. Diz a lenda que Naipi foi transformada em uma das rochas centrais das cataratas, perpetuamente fustigada pelas águas revoltas. E Tarobá foi convertido em uma palmeira, situada à beira do abismo e inclinada sobre a garganta do rio. Debaixo dessa palmeira acha-se a entrada de uma gruta onde o monstro vingativo vigia eternamente as duas vítimas. Tarobá condenado a contemplar eternamente sua amada sem poder tocá-la.



http://4.bp.blogspot.com/_G9cijEqg8ls/So2J0SxLc8I/AAAAAAAAAAU/x6bZ6wjeHtk/s320/6naipi_taroba.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário